LUSCHI - Dragagem, Impermeabilização

‘Trabalho em equipe’ de equipamentos é ideal em dragagem de rios

Dragagem com Drag-lineAdaptar drag-line, escavadeiras e bombas de mineração é a solução de melhor custo/ benefício nesse trabalho. O desassoreamento ou dragagem de rios é importante para remover material sedimentado e melhorar o escoamento dos rios, córregos e canais. Esse trabalho requer planejamento para deixar os cursos d’água limpos e com maior capacidade de vazão nas épocas chuvosas, evitando enchentes, e deve ser realizado com técnicas e equipamentos apropriados.

A dragagem convencional com sistema mecanizado exige equipamentos apropriados. Normalmente se utiliza drag-line (escavadeira de cabo), escavadeira convencional ou escavadeira long reach. Recentemente alguns especialistas passaram a incorporar também bombas com elevada capacidade de bombeamento, normalmente aplicadas em bombeio de resíduos em mineração. “Essas bombas tem capacidade de dragar 800 metros cúbicos por hora, bombeando até 65% de sólidos”, explica Ilson Luschi, especialista em operações de dragagem.
 
De acordo com ele, o Brasil ainda não conseguiu se modernizar em equipamentos específicos para dragagem, que tem custos muito elevados, por isso adaptar as máquinas a esses trabalhos tem sido a solução de melhor custo/ benefício para prestadores de serviço e contratantes. “Uma máquina drag-line nova de 70 toneladas custa R$ 5 milhões e a de 200 toneladas chega a R$ 8,5 milhões. A solução tem sido adaptar as máquinas antigas, recuperá-las e realizar manutenção contínua”, informa Luschi.

Operação Conjunta

Ilson Luschi informa que o trabalho em conjunto dos equipamentos possibilita a redução de custo por metro cúbico dragado e viabiliza novas técnicas para atender às necessidades do mercado. Para ele, as drag-lines são de longe os equipamentos com maior alcance à frente, por retirarem grande volume de material em menos tempo, dando boa produtividade, embora os cuidados com manutenção precisem ser redobrados devido ao tempo de uso desses equipamentos. 
 
No caso das escavadeiras hidráulicas, segundo o especialista, elas possuem alcance mais restrito, mesmo as máquinas de modelo long reach escavam no côncavo, ou seja, à frente e abaixo da margem de onde trabalham. Se operar embarcada em uma balsa, retira material de um lado e dá tombo no outro, dentro do rio. “São necessárias até três escavadeiras para realizar esse trabalho, enquanto uma escava e dá tombo, as outras trabalham em linha fazendo o mesmo procedimento até o material ser completamente despejado na margem”, diz Luschi.
 
Ele descreve uma situação onde a bomba pode ser utilizada pendurada numa drag-line com a caçamba removida, embarcada numa balsa para fazer dragagem num lado de 1 quilômetro quadrado. “Se a drag-line tiver boa capacidade para movimentar de um lado para outro e a bomba for de alta performance, pode fazer sucção de até 300 metros cúbicos de areia por hora, retirando em média 7 mil metros cúbicos de material num dia”, informa Luschi.

Frota para movimentação do material

O material removido é destinado para aterro ou bota-fora, mas antes é comum passar por um desaguamento à margem do rio por meio de um método conhecido como caixote, onde é amontoado, a água escoa de volta para o rio e os sólidos seguem para os caminhões.
 
Num cálculo feito com base no exemplo acima, se forem removidos 7 mil metros cúbicos de material num dia são necessários aproximadamente 40 caminhões rodoviários para transportar esse resíduo até o bota-fora, fazendo uma média de dez viagens cada, num total de 436 fretes diários. É importante, de acordo com Luschi, que as caçambas sejam antiaderentes, assim não retém material grudado e são esvaziadas em sua totalidade na descarga.
 
As pás-carregadeiras ou escavadeiras que fazem as tradicionais operações de carregamento desses caminhões não requerem adaptação nem configuração específica, apenas dimensionamento adequado para o tempo de produtividade estabelecido na rotina de trabalho. Na manutenção dos bota-foras ou aterros que recebem esse material também são utilizados tratores de esteira para fazer espalhar e nivelar o local.
 
“Todos os equipamentos utilizados nesse trabalho devem ser definidos conforme o volume de material retirado do rio, prazo de trabalho, ponto de destinação, entre outros aspectos”, explica Ilson Luschi.
 
Powered by Spearhead Software Labs Joomla Facebook Like Button

Receba nossas notícias