LUSCHI - Dragagem, Impermeabilização
  • Governo de São Paulo

     
  • EDP

     
  • SESI

     
  • Sabesp

     
     
  • VALE

     
  • Foz

     
  • Andrade Gutierrez

     
  • Brookfield

     
  • Petrobras

     
  • Saint Gobain

     
  • Braskem

     
  • Fundação Florestal

     
  • Cacau Show

     
  • Real Café

     
  • ThyssenKrupp

     
  • Civilport

     
  • Engevix

     
  • Ecovix

     
  • Viracopos

     
  • Haztec

     
  • Unigel

     
  • Manserv

     
  • Santher

     
     
  • Klabin

     
     
  • Fibria

  • Mi-Swaco

     
  • ArcelorMittal

     
     
  • Zilor

     
     
  • ERG1

     
     
  • Cemig

     

Dragagem Marítima: Porta-Batel

ERG-1O Estaleiro Rio Grande 1 (ERG1) está localizado no Polo Naval de Rio Grande e atende a demanda de construção de navios e plataformas, a partir de sua infraestrutura projetada para 5.000 trabalhadores.

O ERG1 possui um dique seco projetado para docar dois cascos de grande porte simultaneamente equipado com dois pórticos, além de oficinas de estrutura e de tubulação, dois cais, ampla área de montagem e diversas outras facilidades.

Dragagem (ERG-1)

A operação de  retirada do casco da plataforma P-66 do Estaleiro Rio Grande (ERG1), no Rio Grande do Sul, exigiu o desassoreamento no entorno da porta-batel para abertura da comporta, que foi realizado pela LUSCHI.

“Foram dragados cerca de 30.000 m³ de sedimentos em menos de 20 dias, utilizando uma draga hopper autotransportadora e uma bomba submersa para os pontos de difícil acesso”, afirma Roberto Britto, diretor de logística da LUSCHI.
 
As atividades de dragagem iniciaram em março de 2014, paralelo com as obras de alagamento parcial do dique seco e inspeção do casco. O enchimento do dique foi retomado em 4 de abril, quando as condições climáticas se apresentaram adequadas, até atingir os cerca de 14 metros de profundidade necessários à abertura da porta-batel.
 
Plataforma P-66
Este é o primeiro casco replicante da série de oito plataformas, que estão em construção para atender ao pré-sal da Bacia de Santos. As plataformas são do tipo FPSO (Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Transferência de Petróleo e Gás) e terão capacidade de processamento de aproximadamente 150 mil barris de óleo dia e de 6 milhões de metros cúbicos de gás dia.
Powered by Spearhead Software Labs Joomla Facebook Like Button

Receba nossas notícias